sexta-feira, 4 de abril de 2008

Espionagem na Guerra Civil de Espanha

Tal como a Segunda Guerra Mundial, a Guerra Civil de Espanha, que a precedeu, é um dos mais frutuosos filões da literatura contemporânea. Para além do mítico Por Quem os Sinos Dobram, de Hemingway, há a registar uma infinidade de livros de qualidade tão díspare como a inspiração ideológica que lhes esteve na origem.

Um dos mais recentes - Winter in Madrid, do inglês C. J. Sansom- apresenta-se como uma história de espionagem ambientada na capital espanhola em 1940, pouco tempo após a invasão da França pelos alemães. Um soldado britânico ferido na batalha de Dunquerque é contratado pelos serviços secretos com o objectivo de localizar (e espiar) um antigo companheiro seu de universidade, radicado em Espanha, e de muito boas relações políticas e económicas com o governo de Franco. Ao mesmo tempo que, com algum peso na consciência, tenta cumprir esta missão, é confrontado com o desaparecimento (presumível morte) de outro amigo seu, integrado nas Brigadas Internacionais, numa das mais violentas batalhas da guerra civil (Jarama) e com o estado de penúria extrema em que a guerra mergulhou a Espanha. Este é, aliás, um dos pontos fortes de Winter in Madrid: a reconstituição histórica de uma sociedade dilacerada pela guerra civil, pela fome extrema e, sobretudo, pelo medo da repressão franquista. O autor dá-nos a ver os madrilenos, outrora orgulhosos e exuberantes, em silêncio e receosos nos cafés e nas filas de racionamento, a viver de pequenos biscates proporcionados pela guerra e pelo ambiente de suspeição gerado pelo franquismo. Multiplicam-se os informadores, os espiões envergonhados, apenas justificados pela necessidade de sobrevivência. O Blogue de Letras espera que surja em breve a tradução portuguesa.


1 comentários:

menina-alice disse...

Não tem mail o blog? Ou procurei mal?...