sexta-feira, 30 de novembro de 2007

O blogue de letras

O JL tem um blogue! Sim, juro que é verdade. A morada é www.bloguedeletras.blogspot.com. Vale a pena pôr nos Favoritos. Eu fui lá ver e encontrei este texto. Começava exactamente assim: «O JL tem um blogue!» Se toda a gente tem, por que nós não haveríamos de ter?
Na minha rua há uma loja deliciosamente antiquada, que vende pijamas, ceroulas, camisas de noite, e outros interessantes artigos de vestuário difíceis de encontrar nas grandes superfícies. Chama-se J. Pechincha. No vidro está um autocolante com a exclamação: «Já estamos na Internet!» É uma inevitabilidade, mesmo para o J. Pechincha: o cibermundo é cada vez mais uma parte importante do nosso mundo. E a existência virtual é uma ajuda real.
Quase todos os jornais se aperceberam disso. E têm investido nos sites que, apesar de geralmente serem gratuitos, não concorrem necessariamente com as edições em papel. Pelo contrário, são óptimos complementos. O JL está na Internet há mais de dois anos, alojado no portal da Visão (www.visao.pt). É um canal que pretende chamar a atenção para os conteúdos do jornal e, quando assim se justifica, complementá-lo, com as versões integrais de textos ou dossiers sobre assuntos publicados na edição impressa.
Mas, voltando ao assunto: para que criou o JL um blogue? Não é com certeza para expormos os nossos umbigos, como é prática comum na blogosfera – para isso, publicávamos uma fotografia. Uns são para dentro, outros são para fora, uns são mais redondos, outros mal desenhados. Nenhum deles nos pareceu suficientemente original. E há muitos de nós que se recusam a mostrá-lo.
Os blogues são um espelho dos prós e contras da Democracia. A ideia de que cada um pode ter a sua própria voz, expor as suas ideias, sem estar dependente da aceitação de uma empresa ou instituição. Muitos são demasiado umbilicais e praticamente só interessam aos seus autores. E mesmo a esses, depende dos dias… Outros estão cheios de comentários não fundamentados, notícias falsas, calúnias. Mas também há aqueles que são realmente úteis e pertinentes e que se tornaram num espaço alternativo de comunicação. Feito o balanço, ainda bem que existem blogues. E ainda bem que houve essa triagem que fez com que alguns se tornassem de referência.
A nossa proposta é alargar o espectro do jornal ao cibermundo, num registo mais informal, por vezes até divertido, mas que não deixe de ser sério e credível. É um blogue de letras, artes e ideias. Ou seja, com espaço para tudo. Não falaremos muito de futebol. Talvez também deixemos de lado os emocionantes desenvolvimentos das telenovelas. Evitaremos períodos longos em latim e grego antigo. Assim como o abuso de advérbios com mais de cinco sílabas e as palavras «evento» e «incontornável». E o resto logo se lê.

4 comentários:

Adelaide disse...

Bem-vindo à blogosfera.
É verdade que, como na farmácia, por aqui há de tudo. Alguns blogues têm por certo menor qualidade, mas há também muita qualidade. E isso é o melhor de se descobrir e decerto que esta é uma das marcas desta nova casa.

pedro morais correia disse...

Ah! Aqui está uma excelente notícia, já não preciso de esperar quinze dias para os ler.

Sejam Bem-vindos.

JBMartins disse...

Optima ideia o JL abrir um blogue.
A leitura do Jornal é um acto mais intimo, reflexivo, informativo.

Navegar no blogue é algo mais informal, vivo. abrimos quando queremos sem obrigações.
E, sobretudo, participamos, somos parte.
Cumprimentos

NAMIBIANO FERREIRA disse...

Uma amiga deu a dica e aqui estou saudando o JL da blogosfera!!!
Optimo....